Piração Randômica – 17/09/11 – Cozinha [X]

 

São 1:05 e eu estou aqui no Evernote. Para o público paraespectador que está acompanhando de casa, colo aqui o motivo de estarmos reunidos esta noite:

———————————————————————

às 23h15 começa o processo

Passo 1: lavação de pratos.

23h20 - Ilarilariê! O-ho-ho!

23h23 - OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: se isto aqui e seus próximos capítulos (se houver) for editado em algum meio qualquer vai provavelmente virar uma obra política.

23h28 - ó não. presenciei o concubinato da jibaranha

23h33 - –> OBSERVAÇÃO IMPORTANTE 2: porém, se isto for editado em forma de poesia, pode ser interessante. intercaladas em 42 blocos de texto. “Aí eu vi vantagem” – foi a auto-expressão que eu direcionei a mim mesmo, parabeninzando por uma potencialmente promissora mas provavelmente pífia ideia.

(este já pode ser o próprio prefácio meta-linguístico.

(as poesias podem ter comentários manuscritos pós-piração, do tipo “intervenção inusitada”, “metalinguagem”, “tentativa de concluir o raciocínio anterior”, “ideia potencialmente aproveitável”..)

Exemplo:

Passa boi, passa boiada (MANUSCRITO: palavras automáticas)

(na verdade essa frase foi escrita antes do raciocínio que a usa como exemplo, mas um simples Copiar e Colar me ajudou a proveitá-la para o bem salvando-a do humilhante ostracismo da baixa qualidade de existência e promovendo toda sua virtude intrínseca, incorporando a prova exata que o raciocínio anterior precisava para, ele próprio, garantir seu propósito)

Aparentemente, pelo menos detrás aqui destes olhos que a fornalha há de comer, a frase criada diretamente anteriormente não faz sentido.

E por essa última eu não boto nem o mindinho no fogo.

A pergunta, no fim das contas, essencialmente, deve ser “será que existe alguém, em algum lugar do mundo, que gostaria de consumir esse material que aqui acontece e extrairia dessa experiência algum mínimo prazer? Ou esse é o tipo de coisa tão profundamente individualizadamente moldada, a ponto de seu humor / interessância ser para não mais de uma pessoa só?”)

Talvez, como boa próxima tentativa em caso de tentaviva + fracasso absoluto, seja traduzir para o inglês e tentar a sorte com nichos gringos. Espanhol talvez seja melhor tentar antes. Cultura Argentina, muito próxima, mucho loucos.

Isso é quando brota o marketing em cima de uma experiência fluídoida. Ele pode acontecer por algumas razões, me parece. 1. Pura ganância de fazer qualquer coisa tentar virar dinheiro; 2. Crença no fato de que isso pode ser uma experiência prazeroza para alguém e poder proporcionar isso; 3. Motivo para fazer um retrato/registro de algo particular externalizar-se materialmente para não perder.

Ou não, sinceramente falando.

23:57

Enquanto na jornada de buscar o fio de carregar o computador houve alguns momentos de terrorismo psicológico com as cadelinhas para tentar extrair a informação de quem teria feito cocô no lugar errado, na esperança de ler seus sinais de culpa e tirar uma conclusão. Foi inconclusivo.

De volta aos pratos, tchasu. TChAsUUUUUUU!! (disse o pokemon escondido dentro de mim)

a sensação de gastura que eu tive passando bombril na grelha que eu lavava enquanto seus pézinhos de ferro raspavam na pedra da pia foi TÃO intensa que eu chicoteei de arrepio.

(chicotear de arrepio é experiência que eu já tinha rotulado em outra feita mas que nunca coube tão perfeitamente numa situação. Seja bem-vinda à minha memória atual.)

e assim, nesse interim, Tchaca-Tchaca-na-Butchaca, a missão se completa.

Passo 2: Construção de Sopa para consumo.

(OBSERVAÇÃO IMPORTANTE 3: Como isto é tão solto e não relacionado, talvez melhor que entregar de creme fresco em obra pura, seja criar um interlocutor que apresenta isso, como manuscritos encontrados ou de repente como os diários de alguém que ele conheceu/namorou/está estudando/vive no seu sonho)

“Dr. Jekkyl era um caso severo de Dupla Personalidade, Pinóquio um mitômano compulsivo, a Branca de Neve era narcoléptica,

00:23 - vi que eu simplesmente tinha esquecido todo um lado da pia – e ainda tinha MUITA louça para lavar. A comemoração fora em vão. Mas, entre liquidificadores e formas pichadas de caramelo e colheres de sobremesa escondias dentro de panelas cheias de água suja, venci até o final e poderei eventualmente seguir com o processo da sopa.

(OBSERVAÇÃO IMPORTANTE 4: Acho que isto só tem chance de salvar com algum tipo de apoio visual).

(OSERVAÇÃO IMPORTANTE 5: Será que o Fred topa?)

(IDEIA PARTICIPANDO DA SÉRIE DE OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Criar um prólogo explicando sobre um experimento que aconteceu na Bélgica em que um paciente com câncer na tireóide resolveu fazer parte de um grupo experimental de cura com utilização da cannabis e parte da experiência exigia que ele mantivesse cadernos de notas enquanto passava por situações decorrentes do efeito da substância. Realidade/documentário sério. A partir de então, são mostradas algumas das frases e começa uma animação inspirada nas notas. Aí vira o Sita plays the blues)

00:36 - Será talvez uma sopa assospólita bahiana.

0052: primeiro item da sopa, ervilhas, ´picadas. Deixei a panela no fogo secando e deixei esquecida esquentando até começar este cheiro de queimado que permanece neste momento.

Vou por uma música porque acabo de ouvir a desagradável voz do Faustão fruto de um vídeo inesperado que surgiu de sopetão após um número de comédia que eu tava vendo porque estava para ser exibido em seguida na playlist. A voz me deu um potentíssimo revestrés e o silêncio que veio a seguir pediu por música. Vamos a ela.

Playlist constuída de Free the Robots”, seguido por kormac seguido por Gal Costa Canta Caetano.

Comes a rainstorm…….. put your rubbers on your feet.

NOTÍCIA EXTRAORDINÁRIA: DECIDI TRANSPORTAR ISTO DAQUI DO OMWRITER ONDE ELE NASCEU PARA O EVERNOTE, POR QUE LÁ PODEREI POSTAR JUNTO UMA FOTO DO POTE DE ERVILHA NO MOMENTO.

—————————————–

São 1:07.

Começa neste minuto suavemente a música “The Good Lord – Kormac.”

Vamos às ervilhas. Vou tentar acessar pelo celular e enfiar a foto. na nota.

[FOTO]

(fiz alguma besteira na hora de postar esta segunda foto (acima) pelo iphone e apaguei a anterior, que era da ervilha cortada. Depois tentarei recuperá-la.
Agora, enquanto a sopa pela em regime semi-aberto, vou fumar um cigarro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>